fechar busca

A igreja construída em memória ao Padre Pio se encontra na região onde ele costumava viver. A ideia do projeto era criar um ambiente que, ao mesmo tempo em que seria grandioso, até porque milhares de peregrinos frequentariam o lugar, este fosse recolhido, acolhedor e simples, assim como a personalidade do homenageado.

Para obter todas estas características, o arquiteto Renzo Piano fez uso de materiais como um tipo de pedra local, madeira e vidro. A cobertura da igreja foi feita de painéis de cobre pré-patinado de tamanhos diversos estruturadas com madeira e limestone, organizados de maneira a tornar o ambiente convidativo e acolhedor.

Cabo de aço foi instalado entre os arcos estruturais, de modo que caso haja algum terremoto, a construção permaneça erguida. Para que internamente fosse mantido o tom sereno e discreto, a nave foi colocada de maneira a se unir aos demais setores de 300 a 400 cadeiras, onde os fiéis se sentariam, aproximando-os o máximo possível.

A luz natural, ao entrar na igreja, provoca um aspecto levemente dramático, dirigindo-se diretamente ao altar. Um crucifixo foi elevado a 40 metros de altura, marcando assim o ponto de entrada. Oito sinos estão situados nas primeiras nove colunas, medindo 25 metros de altura, do adro da igreja.

A sepultura de Padre Pio, capela, confessionário e parte administrativa encontram-se no subsolo. Internamente, a igreja comporta até 6.500 pessoas, em seus 6.000 m², já na área externa, de 9.000 m², há espaço para cerca de 30.000 pessoas.

Unindo a arquitetura à arte, alguns artistas foram convidados para que fizessem parte desta grande obra, estando entre eles Roy Lichtenstein, Arnaldo Pomodoro, Mimmo Paladino e Robert Rauschenberg.

Foram necessários 13 anos para a elaboração e execução de seu projeto, sendo assim possível graças às doações de seus fiéis.

Uso

religioso

Cidade

San Giovanni Rotondo

Arquiteto

Renzo Piano

Fotógrafo