fechar busca

O Great Court , espaço do British Museum, fica na Great Russel Street.

Originalmente, o local era um grande jardim que ficava a céu aberto, no entanto, com o crescimento do acervo do museu, em 1857 foi erguida a Reading Room.

Com a ausência do espaço público que permitia a circulação existente anteriormente, o local começou a ficar sempre muito lotado, gerando um certo desconforto aos visitantes.

Em 1997, esse departamento foi transferido para a British Library, dando a oportunidade de reabrir um espaço de circulação ao público. Para decidir como seria o novo espaço, o museu realizou um concurso no qual diversos arquitetos participaram. A proposta era que houvesse um novo projeto que atendesse a três principais objetivos: revelar espaços “escondidos”, revisar antigos espaços e criar novos espaços.

O resultado foi uma cobertura toda feita em vidro, tendo sua parte interna ligada a antiga sala de leitural, circular e a externa quadrada, por estar ligada ao resto do museu. Ela permite uma agradável entrada de luz natural, ao mesmo tempo em que bloqueia os raios solares excessivos.

A textura do vidro foi idealizada de forma que disfarçar o espaço irregular que há entre a fachada e o cilindro central. Para que a reforma fosse mais adequada, uma nova fachada de calcário foi feita em volta da Reading Room, de forma que esta escondeu toda a estrutura que sustenta a nova cobertura.

Em relação aos três objetivos, estes foram atendidos da seguinte forma, com o novo projeto, o Great Court pode tornar “visível” um espaço que estava perdido, por conta do desaparecimento de um espaço de circulação, dando ao visitante a possibilidade de uma nova vista a cada passo que é dado no local. Outra questão foi a da revisão de antigos espaços, que deu origem ao Ford Centre, que era o antigo espaço reservado às obras egípcias, mas que agora é destinado às crianças e seu aprendizado.

Houve a abertura também de dois novos espaços, Sainsbury Galleries e Wellcome Trust Gallery, fora um espaço para exposições temporárias, a Room 35. Além desses espaços, um novo átrio, novos espaços educativos e outras facilidades aos visitantes, também foram abertos.

Uso

expo

Cidade

Londres

Arquiteto

Foster and Partners

Fotógrafo